14 de fev de 2011

'ROMANCE DO CUTELEIRO" (enviado por Rodrigo Valentin)

'ROMANCE DO CUTELEIRO"

Autor:  xiru Corvello


"Minha faca véia, gaúcha
que forjei com perícia e amor.
Se moldou como a mais buena
á força de malho e calor!
-O teu fio, nosa defesa
se houver cargas contra mim,
tú já despacha o vivente
e quem mais estiver junto.
Num talho certo e ardente
fabríca já, o defunto
que andava campeando um fim!

Numa janelita gorda
ou num lombito apetitoso,
te passo á moda campeira
como quem enfeita um tozo!
-No teu garrão sigo alerta,
manejando-a com carinho.
Te limpo e no fim da história,
nesse romance entre nós,
segue a nossa trajetória
ficando de novo á sós,
te aliso e te embainho!

Nenhum comentário:

Postar um comentário